O primeiro cliente a gente nunca esquece!

 

Antes mesmo da lojinha existir e durante os últimos meses de parto da minha dissertação, um cobaia amigo meu havia acabado de alugar um apê próximo da Liberdade e queria mobiliar com minhas peças. Quem disse que a propaganda boca-a-boca não funciona né gente?
Na época tudo que eu tinha era um desktop vergonhosamente bagunçado com milhares de arquivos do mestrado e algumas madeiras perdidas no quintal de casa na oficina (nem o CAD eu tinha instalado no computador – vergonha alheia de mim mesma) mas aceitei fazer o projeto mesmo assim porque  arquiteto não precisa dormir achei legal fazer uma casa inteira com meus produtos!
O apê é bem simpático, mas bem pequenininho. Sente a ostentação do m² gente:

 

A ideia era usar os produtos-conceito da lojinha (caixas de feira, pallets, madeira de demolição, etc) para fazer todos os móveis e apetrechos necessários. Assim meu amigo teria um apê barato bonito e pronto para morar em pouco tempo e eu teria um portfólio de produtos para começar a divulgação.
Win/win!
Óbvio que na muvuca da vida de mestrando, acabei perdendo o projeto original em Sketchup que fiz para o apê, mas *que os deuses da internet sejam louvados* uma foto que mandei via whatsap sabe-se lá porque sobreviveu para que vocês possam contemplar as maravilhas de um projeto feito às pressas entender a proposta:
(Não me julguem pela qualidade pobre do 3D tá? Considerem que eu estava ha 2 meses de entregar minha dissertação e sintam compaixão pela minha alma)
Pois, projeto aprovado e o trabalho foi começando aos poucos, com as peças principais sendo entregues primeiro, como a cama (que depois sofreu um pequeno corte pq ficou muito grande), a mesa de trabalho e arara de roupas:
Depois foi a vez das caixas de feira de vários estilos e tamanhos que serviram de estante e nicho de parede para guardar desde coleção de cervejas até livros de cálculo. É versátil, é eclético, é moderno! Fiquei até com vergonha da minha estante mixuruca aqui de casa *em casa de ferreiro o espeto é de pau*.

 

 

Vocês sabem que todo projeto tem aquela peça meio xodó né? De todas as peças desenvolvidas, as duas que mais gostei foram o futon (que ficou um charme, modéstia à parte) e as duas jardineiras verticais da varanda com um acabamento pátina bem diferente, especialmente para quem olha da rua.
Quando meu amigo parar de matar as plantas de sede a jardineira ficar bem verdinha vai dar um efeito super legal de cachoeira verde na peça 🙂

Fora isso, foram feitas outras peças menores e mimozinhos  para deixar as coisas mais aconchegantes e organizadas, como o criado mudo com pé-palito, a mesinha amarela para o bebedouro, a divisória com paninho xadrez na entrada da casa, o suporte para garrafa e taça de vinho, o cabideiro que foi um sufoco para instalar e as prateleiras em cima da cama feitas com – adivinhem – as partes da cama que eu cortei! Voilà!
cabideiro da bagunça
criado-mudo com pé palito

 

 

jardineira estilo namoradeira de janela
porta garrafas e taças – versão teste

 

mesinha para bebedouro e fruteira
divisória xadrez
prateleira de pallet

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ufa! Quem diria que em um apartamento tão pequenino caberiam tantas coisas! E olha que nem coloquei todas as fotos aqui senão o post ia mostrar toda a bagunça da casa do meu amigo ia ficar muito longo!

É como eu sempre digo para os hereges céticos: acredita no projeto que cabe!

Gostou de alguma das peças? Ficou com desejos de grávida? Tem outra cor, tia? 

Nem preciso lembrar vocês que tá tudo lá na Lodjinha, néah!?

Até a próxima aventura amiguinhos! E não esqueçam de deixar um comentário 🙂
Anúncios

Eu vejo caixas em todo lugar!

 

Vocês também tem essa impressão de que quando estão trabalhando com alguma coisa, de repente, começa a ver essa coisa em todo lugar?!
Depois que terminei meu mestrado, fui tirar um mês sabático pelas Zoropa para reabastecer o estoque de cremes no dutyfree recarregar as energias e, enquanto passeava pelo velho continente, reparei que a moda de usar pallets e caixas de feira em lojas e vitrines é muito mais comum do que podia sonhar minha vã filosofia.
Mesmo antes de ter a lojinha, eu já dava meus pulos vendendo minhas caixas e móveis em sites de venda coletiva e, portanto, já estava tramando os próximos passos para dominar o mundo conseguir um fornecedor parça de caixa de feira. Eu estava pior do que gaivota roubando sorvete de criança na praia – via caixas e pallets por toda parte, e queria pegar todas e levar p/ casa!

 

 

Vi  muitos casos interessantes de uso de pallets e caixa de feira, especialmente em lojas e restaurantes. Uma opção boa, bonita e barata para decoração de lojas – tudo o que o comerciante quer!

Nesse mercado de produtos naturais, por exemplo, usaram pallets lixadinhos naturais como prateleira e ficou super com cara de feira de rua né? (A foto ficou meio clandestina por que não podia tirar foto do mercado, então nem vou falar onde foi Barcelona)

 

Nessa outra loja na cidadezinha medieval de Évora, os lojistas faziam a vitrine da loja ali na rua/calçada – no meio da muvuca, usando as caixas de feira como nicho para expor os produtos de um jeito diferente e prático. Posso falar? Achei um charme!

 

Aliás, esse estilo de caixa de feira é bem europeu e não é muito usado aqui no Brasil, mas estou pensando seriamente em incluir no portfólio de produtos da lojinha por que são muito fofos né?! Achei algumas lojas lá no Porto que comercializavam os caixotes novinhos para serem usados como decoração. A moda das caixas de feira já pegou lá no velho continente!

 

 

Nessa outra loja de roupas infantis em Barcelona, a proprietária gostava muito de plantas e resolveu usar o pallet como jardineira. Eu achei o máximo a ideia e já aproveitei e incluí esse produto MA-RA na lojinha!

 

 

Nesse restaurante/bar/cafeteria usaram as caixas para criar um lounge para fumantes ao ar livre com almofadinhas e mesinha no cantinho da calçada. Ficou super diferente né? Nunca tinha visto essa ideia por aqui. E, de novo, a caixa sendo usada como jardineira ali no cantinho. Mais verde, por favor!

Por último, mas não menos importante: só por que vamos para a praia que precisamos perder o estilo néah gentem?!  (as havaianas que o digam!) Olha essa prateleira/divisória de quiosque de praia lá em Barcelona também. Não precisa ser caro para ser chique, vamos combinar?! Achei lindo, achei estiloso, achei tendência.
Tá vendo gente, caixotes de feira têm mil e uma utilidades, aqui e na China! Em breve vou fazer um post com a versão das lojas tupiniquins porque já vi idéias ótimas em lojas e vitrines aqui do Brasil também! Afinal, brasileiro é um povo muito criativo! 🙂
Espero que tenham gostado e deixem suas dicas, dúvidas e sugestões nos comentários! 🙂
Lembrando que algumas dessas peças vocês encontram na nossa loja: www.agnolias.com.br

Até a próxima pessoal! 🙂

__________________________
 
Para quem está se perguntando, todas as fotos são minhas (ou do meu BF), inclusive a da gaivota roubando lixo numa praia de Barcelona. É gente, não tá fácil pra ninguém – não vamos julgar.

ativando configurações de belezuras

 

Muita gente curtiu nossa página no Facebook, acompanhou as novidades do Instagram, entrou na nossa Lojinha (obrigada!) e mandou algumas mensagens com as dúvidas existenciais mais legítimas de todos os tempos: quem somos nós, de onde viemos, para onde vamos, o que fazemos?
 
Desde a inauguração, estamos correndo para todos os lados para trazer os produtos mais fofuchos e coloridos para vocês e acabou que não tivemos tempo de falar um pouquinho sobre nós mesmos. Bater aquele papo descompromissado de amigo, sabe?
 
Pois então, como vocês já espiaram no site, somos uma oficina bem modesta (por enquanto atuamos só na garagem de casa nos meios digitais) especializada em desenvolver produtos a partir de matéria-prima reciclada, especialmente caixotes de feira (de vários tamanhos e modelos), pallets, carretéis de madeira, madeira de demolição e outras coisitas que possam ganhar vida nova com um pouco de cor e criatividade.
Também somos grandes entusiastas do movimento “faça você mesmo” e, por isso, disponibilizamos em nossa lodjinha alguns dos acessórios que utilizamos em nossas peças, para aqueles clientes que gostam de montar suas próprias peças mas não conseguem encontrar aquele pezinho que tem um je ne se quai especial.
 
Perambulando pelos infinitos blogs de decoração que existem na rede, sempre víamos inspirações lindas de móveis feitos com aquela caixa de feira tão famosa, ou aquela mesinha de pallet com rodinha que fica um charme na sala de estar. Mas mesmo que essas idéias de decoração sejam tão populares e admiradas, existiam poucas ou nenhuma loja que oferecesse esse tipo de produto para vender. Como assim né gente?!!
 
Tudo bem, tem muita gente que prefere fazer seu próprio móvel, no melhor estilo DIY – é divertido, é relaxante, é quase uma terapia. Mas tem gente que não tem tempo, ou espaço, ou habilidade ou até mesmo não gosta muito de ficar lixando um pallet por 5 horas colocar a mão na massa. Foi pensando nisso que me veio a ideia: por que não?
 
Foi assim que nasceu a Agnolias –  para oferecer móveis e artigos de decoração feitos com matéria prima reciclada e sustentável, com aquela carinha de “sempre quis ter um móvel de caixa de feira” com um toque retrô e colorido que parece ter saído de uma revista de decoração. Tudo que pode ser reutilizado será transformado em móvel!
 
De uma maneira bem resumida, foi assim que tudo aconteceu 🙂
Aproveitando para falar que dúvidas, sugestões, críticas construtivas e dicas de produtos são sempre bem vindas.
Fiquem à vontade, a casa também é de vocês!
_______________________________________
 
Sobre Agnes Helena, fundadora da Agnolias:
IMG_20150514_003224
Arquiteta, urbanista, arqueóloga nas horas vagas e cientista amadora. É mestra pela Universidade de São Paulo e graduada em arquitetura na mesma instituição. Gosta de meias, Grécia, robôs, Lego, girassóis, tem medo de aranhas e acha Star Trek muito melhor que Star Wars.
Conhecida internacionalmente pela sua incapacidade de sair séria em fotos e de pedir falência toda vez que entra em uma livraria, ela também é voluntária na ONG ABEAC (porque cachorros!) e gostaria de dominar o mundo não fosse a vontade de ficar na cama lendo Jane Austen. Equilibra sistematicamente cores complementares na decoração de seu cafofo mas não sabe combinar o sapato com a bolsa. Oi!